O VIlão e o Herói...

Anda na moda falar sobre o "Caso Esmeralda", ou seja, o caso da menina que foi adoptada e que 5 anos depois o tribunal de Torres Vedras decidiu entregar ao pai biológico (ausente, até aquele momento).




Pelo menos é assim que é retratado o caso em toda a comunicação social.




Contudo, e como podemos saber ontem (no Jornal da Noite da SIC), a situação não é, exactamente esta...




Um pequeno aparte... a forma como Paulo Camacho (Pivot do referido espaço noticioso) "tratou" o (penso) presidente do sindicato dos juízes, foi (no mínimo) de uma tremenda falta de educação. Não sei se não ultrapassará um qualquer limite deontológico.




Retomando... sabemos agora que não é a situação descrita acima, a verdadeira explicação dos factos ocorridos (como aliás somos alertados por Paulo Gorjão, aqui no Bloguitica).




Na verdade, o pai biológico já requereu o "direito" quando a menor tinha menos de um ano de idade, sendo que desde 2004 que o tribunal tinha decidido entregar o menor ao mesmo.




Outro aspecto, os pais adoptivos, não são pas adoptivos... Foi alguém a quem a mãe (biológica) entregou a filha... Estamos então a falar, concretamente, em rapto e incumprimento da decisão do tribunal à quase 2 anos...




Não seria do superior interesse da menor, ter sido entregue ao pai, imediatamente após a decisão do tribunal quando a mesma tinha cerca de 2 anos e meio...




Só é pena que o processo se arrastasse tanto tempo...




 




 

publicado por MAV às 00:03