QUEM SOU



lic. em trabalho social
pg em int. social: criminologia
mestre em serviço social

trabalhador social

docente do ensino superior




membro da direcção

EM AGENDA

29/04/2011
Comunicação nas Jornadas Nortenhas de Mediação (Porto)
------------------
19, 20 e 21/05/2011
Formador do Curso Básico de Criminologia promovido pela AIDSS (Lisboa)
------------------

mais sobre mim

NAS REDES SOCIAIS

SUBSCREVO / APOIO

as minhas fotos

A partir de agora, e com o objectivo de agregar a minha página e o meu blog num único local, este blog passa a estar em http://miguelangelovalerio.wordpress.com

Sábado, 07 DE Maio DE 2011

falemos a sério...

Não posso deixar de escrever uma pequena nota sobre uma das implicações do Plano de Ajustamento definido pelo FEEF: o término e a fusão de autarquias.

É, considero, uma óptima ideia e algo necessário, num país onde algumas freguesias são maiores que muitos munícipios. 
Servirá até para um funcionamento mais lógico, coerente, eficaz e eficiente de diversos projectos e iniciativas. Por defeito de formação, dou como exemplo a criação de diversas respostas sociais, que independentemente do número de indivíduos da população-alvo residentes, parece que é uma obrigação cada concelho ter a sua (lar de idosos, creches, infantários, entre outros).

Contudo, e infelizmente, considero também que vai ser algo extremamente díficil (senão impossível) de atingir.


Recordemos, por exemplo, as guerras que já existiram para promover determinadas cidades e vilas a concelho. Imagine-se agora, as guerrilhas partidárias que muitos responsáveis farão, quando verificarem que a sua freguesia ou o seu concelho será "anexado" pela/o vizinha/o.

Mas no meio disto tudo não podemos deixar de reflectir em algo que está indirectamente relacionado: a necessidade de uma séria reforma do sistema eleitoral português (assembleia da república, governo e autarquias),

Quanto à Assembleia da República, teria que passar por uma diminuição do número de deputados, com a criação de ciclos uninominais por círculo eleitoral e um círculo nacional. Associado a isto, uma eleição nominal do Primeiro-Ministro e o aumento dos vencimentos dos deputados.
Quanto às autarquias, não seria mais eficaz, digamos, uma diminuição dos cargos autárquicos e possibilitar esta gestão articulada através de algo chamado... sei lá... REGIONALIZAÇÃO?

publicado por MAV às 00:42
Domingo, 11 DE Outubro DE 2009

urnas fechadas

No distrito de Vila Real, nomeadamente no que se refere às Câmaras Municipais do distrito não deverão existir muitas novidades. Na minha opinião, talvez as mais interessantes de acompanhar sejam as eleições em Mondim de Basto (único concelho onde o actual presidente não se recandidata) e no Peso da Régua (com o actual e anterior presidente em confronto).

De resto, tudo deve permanecer igual, salvaguardando a excepção de Sabrosa, onde o Independente José Marques (actual presidente da Câmara Municipal) se candidata desta vez pelo Partido Socialista.

As grandes lutas devem ficar pelas diferentes Assembleias de Freguesia e pela garantia (ou não) de algumas maiorias nas Assembleias Municipais.

publicado por MAV às 19:00
Domingo, 11 DE Outubro DE 2009

vila real no mapa

Pelos piores motivos as autárquicas no distrito de Vila Real são hoje alvo de notícia.

publicado por MAV às 18:24
Terça-feira, 29 DE Setembro DE 2009

demagogia socialista em vila real

Aquando da definição das datas para as eleições legislativas e autárquicas deste ano, muitos falaram da necessidade de estas serem em datas diferentes de forma a não confundir os eleitores. Não deixa por isso de ser interessante a colagem, constantemente realizada, por parte de elementos das campanhas autárquicas a actos ocorridos na campanha para as legislativas.

Como penso que anteriormente aqui referi, estive presente nas apresentações das candidaturas à Câmara Municipal de Vila Real do Partido Socialista e do Partido Social Democrata e tive a oportunidade, por exemplo, de ver presente na apresentação da candidatura do candidato pelo PSD o actual reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), o Prof. Doutor Armando Mascarenhas Ferreira.

Achei por isso curioso, o facto da candidatura do PS, no sua página da Internet apresentar uma "notícia" sobre o comício de José Sócrates e a presença do reitor da UTAD no mesmo porque (segundo fonte do PS!!!) o reitor pretende transmitir "um sinal de reconhecimento pelo apoio do Governo aos projectos da UTAD" e também de "congratulação com os investimentos" realizados pelo executivo em Trás-os-Montes.

Se isto não é uma colagem às legislativas e da mais pura demagogia partidária, não sei o que será.

Aliás, até saberei, mas ficaria feio escrever isso aqui...

publicado por MAV às 16:49
Quinta-feira, 17 DE Julho DE 2008

bons sinais

Na passada segunda-feira decorreram as Ias Jornadas de Serviço Social, organizadas em conjunto pela licenciatura em serviço social do ISPGaya e pela AIDSS, sob a temática de "Pensar a Cidade: Repensar a Intervenção Social".

 

No painel da manhã o tema foi a criminalidade...

Falou-se da necessidade de alterar a lógica de construção de bairros sociais. Lembrou-se que tinham sido construídos (no Porto) fora daqueles que eram na altura os limites da cidade, mas que com sua a evolução (ou crescimento?) ficaram no centro da mesma.

Falou-se na urgência em repensar o conceito, a guetização, a construção em altura, comentando-se as dificuldades da intervenção da PSP em torres com 11/12 andares. Deu-se como exemplo o Bairro do Aleixo.

Sentiu-se a necessidade do aproveitamento do espaço, do preenchimento das zonas antigas, da alteração da construção vertical por construção horizontal.

 

Hoje, fala.se da criação dum Fundo Especial de Investimento Imobiliário pela Câmara Municipal do Porto, encontrando um parceiro que reabilite algumas habitações ou construa novas habitações sociais, recebendo em troca os terrenos do Aleixo porque como refere Rui Rio [link], "Reabilitar o edificado seria errado. Aquelas torres são demasiado grandes".

 

São bons sinais, óptimos sinais. Sinais de que a profissão pensa, debate e reflecte sobre as necessidades. Sinais que está atenta ao que se passa e, principalmente, como se passa. Sinais de que tem um papel importante na evolução (agora sim...) da sociedade.

 

Ainda a propósito, falou-se também que os mesmos erros que se cometeram no Aleixo, estão a ser cometidos noutros locais, nos dormitórios da periferia do Porto. Falou-se que seria óptimo corrigir esses erros enquanto ainda há tempo, sob pena de, daqui a 15/20 anos, estarmos a tentar arranjar soluções para o que deveria não ter sido feito.

 

Leitura complementar: seguir o debate sobre este assunto n'A Baixa do Porto (aqui e aqui)

publicado por MAV às 02:11
Quinta-feira, 08 DE Fevereiro DE 2007

Criação de Cartas Sociais Municipais

Finalmente, um excelente notícia...A criação de uma carta social municipal é um instrumento fundamental para quem pretende (como é actualmente fundamental) estabelecer um trabalho em parceria e coordenado entre todas as instituições que existam numa determinada zona geográfica.




Aliás, é algo que actualmente faz extrema falta (recorro aos exemplos de alguns alunos que oriento/orientei em estágios académicos, e que fazem/fizeram da criação de um guia de recursos, uma das suas actividades) em muitos dos concelhos e diversas áreas concretas de intervenção.




Este aspecto, é prova da não funcionalidade do actual modelo (nacional) que está (praticamente) sempre desactualizado.




Espera-se contudo, que sejam criadas bases de dados de fácil acesso e (principalmente) de fácil actualização, onde constem aspectos como o número actuais de vagas disponíveis em cada resposta social.




Poderia ser utilizado, por exemplo, as relações mensais de clientes que todas as instituições com tenham acordos com o Instituto de Segurança Social, têm que enviar mensalmente.




Apenas mais uma sugestão... incluam as instituições privadas com fins lucrativo nas cartas sociais municipais. Não como forma de divulgação e publicidade (obviamente), mas como forma de alargamento da informações disponíveis, visto que, e em alguns locais, apenas existe o recurso ao privado (com fins lucrativos) como resposta a determinadas situações.

publicado por MAV às 15:49

pesquisar

 

Outubro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

  • A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...
  • É homenagem a Portugal não vã...
  • obrigado pela informação
  • Buy your World Email Databases - Connect the World...
  • boas,caros colegas, acho impressionante o que se p...
  • Antes de mais dou os parabéns pelo bom gosto com q...
  • Parabéns pelo destaque!
  • Infelizmente a Troika não nos "safa" dos espertos....
  • Gostava de o desafiar a visitar o blog "Dez a fio"...
  • Bom dia,O Ideal Social está novamente em destaque ...

arquivos

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

links

DIVERSOS

------------------
------------------

O Ideal Social no seu E-Mail