A Influência da Perspectiva Psicodinâmica no Trabalho/Serviço Social

Uma das discussões actualmente em voga no âmbito da profissão, relaciona-se com a questão das competências profissionais no âmbito de uma prática interventiva mais directa com os clientes, a nível terapêutico, e a necessidade de adaptação dos currículos académicos à realidade científica internacional da profissão.


Muitas são as influências que a teoria psicodinâmica exerce sobre o trabalho/serviço social, sendo assim necessário compreender esta teoria. Com a evolução das mesma, esta teoria preocupa-se cada vez mais com a forma como os adultos interagem com o ambiente.


Estas preocupações foram resumidas por Brearley [1991, ref. por Payne, 2005, p. 78], em:




  • A relação entre nós próprios e os outros;

  • A relação entre a experiência passada e presente;

  • A relação entre a realidade exterior e interior da pessoa.


Esta teoria influenciou o serviço/trabalho social especialmente no período correspondido entre os anos 20/30 e os anos 60. Nesta altura, esta teoria exerceu uma poderosa influência sobre o trabalho social. Algumas correntes do serviço/trabalho social criadas na altura, ainda se mantêm hoje em dia.



A grande influência que esta teoria exerceu sobre o trabalho/serviço não foi directa, muito pelo contrário… Quais são então essas influências? (Payne, 2005)




  1. Freud tem influência na cultura ocidental. Muitas das suas ideias são moeda corrente e aparecem no serviço/trabalho social por causa disso mesmo, mais do que porque a sua teoria tenha sido aplicada directamente à profissão.



  2. Existem aspectos diferentes do seu trabalho que foram desenvolvidos em momentos diferentes. As ideias chegaram à profissão com intervalos. A psicologia do ego, que é agora importante, chegou mais tarde do que as ideias psicodinâmicas básicas.



  3. Freud inspirou tanto seguidores como dissidentes, por isso existem teorias afins que partilham ideias com Freud, embora, por vezes, discordem da sua abordagem.



  4. As ideias psicodinâmicas foram a primeira teoria explicativa forte na profissão, e por isso criaram o ambiente no qual as teorias posteriores se naturalizaram. Elas influenciam assim um conjunto de ideias teoricamente distintas na prática.



  5. A sua terapia influenciou o estilo de relação permissiva, aberta e de escuta (Wallen, 1982) existente na profissão, em lugar de um estilo directivo e controlador. Encorajou também a busca de explicação e compreensão da personalidade em lugar da acção.



  6. A teoria psicodinâmica influenciou a ênfase posta pelo profissional nos sentimentos e nos factores inconscientes em particular (Yelloly, 1980), mais do que em acontecimentos e pensamentos. Muitas ideias com a de inconsciente, a visão interior, a agressão, o conflito, a ansiedade, as relações maternais e a transferência advêm da teoria psicodinâmica.



  7. Estes são termos frequentemente utilizados como uma linguagem comum no serviço/trabalho social e na vida de todos os dias. A teoria psicodinâmica ganha em importância através da sua contínua disponibilidade para com os profissionais.



  8. A sofisticação e complexidade teórica das suas ideias tornam-na atractiva e interessante de explorar, quando comparada com teorias mais novas e menos desenvolvidas (Fraiberg, 1978; Lowenstein, 1985).



  9. A ênfase dada à doença mental e às alterações de conduta como objectivo de grande parte da profissão vem da importância da ligação, nos anos vinte e trinta, dos profissionais de serviço/trabalho social com a psiquiatria e com o tratamento psicodinâmico.



  10. A visão interior como uma parte importante da compreensão e tratamento do trabalho social vem originalmente da teoria psicodinâmica.



publicado por MAV às 18:37