Nem com Risco de Vida da Mulher Grávida...

Um dos argumentos habituais dos defensores do NÃO no referendo do próximo dia 11 de Fevereiro, é o facto de considerarem que a actual lei é suficiente, preenchendo também os critérios considerados suficientes de permissão da prática (legal) da IVG.


 


Embora não concorde com tal argumento, verificando que o próprio conceito de saúde seguido não é, por exemplo, o defendido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde, não deixa de ser (infelizmente) curioso verificar que, em determinadas situações (como pudemos constatar numa peça do Jornal da Noite, de ontem, da SIC), nem o risco de vida da mulher grávida é suficiente para realizar uma IVG num hopital público...


 


 

tags:
publicado por MAV às 18:59