Ainda sobre a "Colonagem" dos Movimentos NÃO

 


Tive hoje a oportunidade de, enquanto me deslocava para o trabalho, ouvir os tempos de antena, de diversos partidos e movimentos de cidadãos eleitores na RDP Antena 1.


Muito se falou anteriormente sobre o fenómeno da colonagem dos movimentos defensores do NÃO no referendo do próximo dia 11 de Fevereiro, sendo que do lados destes essa colonagem seria um ataque de demagogia.


Não querendo por em causa a liberdade (que obviamente existe) de multiplicar os movimentos como bem entenderem, poderiam (pelos menos) ser sinceros e honestos nesta abordagem.


Se essa multiplicação não existiu, é de estranhar que no sorteio para os tempos de antena houvesse "mais representantes dos movimentos do Sim do que do Não [porque] uma só senhora representava 11 movimentos".


Mas como referia (e se sobre este aspecto pudessemos supor uma atitude conjunta para controlo dos gastos do referendo), estranhei hoje (nos tempos de antena da RDP Antena 1) que o início dos tempos de antena dos movimentos (Alentejo pelo Não, Minho com Vida e Juntos Pela Vida - penso que foram estes e "apenas" estes) tivessem a mesma música no início e no final do mesmo (e não era o hino da campanha - embora também este fosse usado por todos) onde a MESMA voz nos brindava com slogans já conhecidos dos cartazes do movimento Não Obrigada...


Como disse o Daniel Oliveira, "depois venham dizer que é a sociedade civil e que não houve replicação de movimentos…"


 


 

tags:
publicado por MAV às 19:03