mais histórias da escola do (largo do) rato...

«O desacordo da GNR em prestar honras militares a António Costa valeu-lhe ser dispensada, quase na véspera, das comemorações na Praça do Município. José Sócrates vai estar presente» [ler notícia completa do DN]

«Há duas semanas, António Costa enviou uma carta aos trabalhadores da Câmara de Lisboa a dizer que serão aumentados em Novembro. O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa classifica a carta de "eleitoralista", ao passo que o director de recursos humanos da CML diz que é  "prática corrente". Aumentos custarão cerca de três milhões à autarquia» [ler notícia completa no DN]

 

António Costa apresenta-se a estas eleições com dois anos de história na liderança da CM Lisboa. Ou melhor, com dois anos sem história, sem obra, sem nada à frente da CM Lisboa.

A única tarefa que efectivamente diz ter cumprido e que defende como ter sido fundamental é o arrumar da casa. Pois bem, deve ser a isto que se refere...

E se fosse Pedro Santana Lopes a fazer isto? O que diria o PS e António Costa.

É este presidente que Lisboa quer?

 

publicado por MAV às 18:40