QUEM SOU



lic. em trabalho social
pg em int. social: criminologia
mestre em serviço social

trabalhador social

docente do ensino superior




membro da direcção

EM AGENDA

29/04/2011
Comunicação nas Jornadas Nortenhas de Mediação (Porto)
------------------
19, 20 e 21/05/2011
Formador do Curso Básico de Criminologia promovido pela AIDSS (Lisboa)
------------------

mais sobre mim

NAS REDES SOCIAIS

SUBSCREVO / APOIO

as minhas fotos

A partir de agora, e com o objectivo de agregar a minha página e o meu blog num único local, este blog passa a estar em http://miguelangelovalerio.wordpress.com

Quinta-feira, 05 DE Agosto DE 2010

podemos iniciar um novo processo de bolonha?

Quem me conhece e quem (por acaso) possa dar com este blog, sabe que sou um crítico do Processo de Bolonha. Não do que a declaração de Bolonha pressupõe, mas da forma como a mesma foi aplicada em Portugal, nomeadamente no que se refere ao Serviço Social. Aliás, em Agosto de 2007 escrevia por aqui que Bolonha tinha sido uma oportunidade perdida no âmbito desta formação em Portugal (ver aqui).

Não obstante, e embora seja discutível a aprovação de algumas adequações, uma das vantagens que este processo parecia ter trazido para a formação superior em Portugal, foi a reordenação e reorganização dos cursos, nomeadamente no que se refere às suas nomenclaturas. Digo parecia, porque se o foi num momento inicial, rapidamente essa vantagem, esse aspecto positivo, deu lugar a "mais do mesmo".

Sempre defendi que, existindo uma formação base em Serviço Social (os primeiros ciclos ou licenciaturas como se vulgarizou chamar em Portugal), deveria ficar para formação pós-graduada (segundos ciclos ou mestrados) as especializações.

Foi mais um momento não aproveitado. Já existia a licenciatura em "Gerontologia Social", em "Intervenção Social e Escolar", e eis que surge mais uma: a licenciatura em "Desenvolvimento Comunitário".

Estou certo que, daqui a mais uns anos (e não serão muitos) estaremos novamente a enfrentar a mesma situação de 2004/2005 no que respeita às designações e consequentes saídas profissionais.

publicado por MAV às 15:09
Quinta-feira, 01 DE Abril DE 2010

O Ensino Superior

Caro Pedro Rolo Duarte,

Não consigo deixar de pensar que se fosse "apenas isso", já não nos poderíamos queixar muito...

publicado por MAV às 09:53
Terça-feira, 15 DE Dezembro DE 2009

notícias de amanhã (i)

Hoje, o Bloco de Esquerda informa que vai propor a suspensão do pagamento das propinas no Ensino Superior Público, visto que (como refere Francisco Louça) «Na Alemanha não há propinas porque há um bom investimento no ensino superior. O ensino superior é um custo para o país mas não pode ser um preço para os estudantes, tem de ser uma vantagem para todos»

Não querendo reflectir sobre o facto dos Estados Unidos da América terem dos melhores sistemas de ensino superiores e ser pago... será certamente notícia de amanhã, na mesma lógica da proposta apresentada hoje...

 

... A NACIONALIZAÇÃO DE TODAS AS INSTITUIÇÕES PRIVADAS DE ENSINO SUPERIOR.

publicado por MAV às 14:40
Quarta-feira, 17 DE Junho DE 2009

bolonha e serviço social, novamente...

Não estará na hora de seguir os passos de Charlotte Towle, na redefinição da formação inicial em Serviço Social em Portugal?

publicado por MAV às 18:39
Sábado, 09 DE Maio DE 2009

da paragem

Este blog tem estado algo parado. Justificações?

Para além do ritmo diário e de algumas mudanças recentes, a preparação para estar por aqui na próxima sexta-feira, por aqui no dia 19, e por aqui nos dias 21.

publicado por MAV às 17:03
Domingo, 29 DE Março DE 2009

bolonha, ensino superior e serviço social

O Diário de Notícias de hoje apresenta uma peça interessante sobre a aplicação do chamado "processo de Bolonha" no ensino superior em Portugal, sob o título de "Universidades falham processo de Bolonha".

Infelizmente não consigo deixar de concordar com muito do que aí é exposto. A verdade é que uma grande parte das alterações provocadas pelas adequações a este processo passaram apenas pela alteração (leia-se diminuição) da duração das licenciaturas.

Sendo certo que o "processo" está implementado na maior parte dos cursos do ensino superior e que muitas associações profissionais já exigem o mestrado como condição de acesso à profissão (psicologia, por exemplo), importa assumir de vez o que temos e assumir também um de três caminhos:

  1. Os três anos são suficientes para uma formação de nível superior, e ninguém poderá exigir mestrado (o que me parece a opção menos credível);
  2. Reformular toda a estrutura de Bolonha, readequando os cursos, com critérios rigorosos pré-definidos (o que me parece, nesta altura, pouco sustentável);
  3. Aceitar de vez, que estamos perante uma estrutura idêntica ao sistema bietápico antigo, em que apenas por acaso (ou por azar) se designou de licenciatura e mestrado, ao invés do que acontece na generalidade dos outros países (nomeadamente os anglo-saxónicos (bacharelato e mestrado).

Neste último caso, será necessário reestruturar profundamente a organização profissional, até como forma de "adequar" os antigos licenciados a mestres (o que parece que o Bloco de Esquerda se prepara para propor), que passará obrigatoriamente pelo assumir a necessidade dum mestrado e reformular os níveis profissionais.

Não consigo deixar de realçar as palavras de Gonçalo Xufre ao assumir que "Bolonha foi uma oportunidade perdida [...] para o ensino superior", algo que, adequado ao Serviço Social, eu já tinha aqui escrito em Agosto de 2007, sob o título de "uma oportunidade perdida". Só tenho pena que se tenha demorado tanto tempo a dar conta disso.

Não consigo terminar sem aqui deixar as palavras duma colega, aquando duma conferência a que assisti sobre este processo. No final, e face às diferentes opiniões e declarações, perguntou-me: "Quantos processos de Bolonha conheces?"

publicado por MAV às 15:05
Quinta-feira, 12 DE Março DE 2009

equipação licenciados pré-bolonha a mestres pós-bolonha

O Bloco de Esquerda prepara-se para apresentar na Assembleia da República uma proposta de lei que visa «restabelecer a igualdade de condições nos concursos públicos entre os licenciados do sistema “pré-Bolonha” e os mestres do sistema de atribuição de graus criado pelo decreto-lei 74/2006» ou seja, mestres pós-Bolonha.

Pessoalmente, e tendo em conta aquilo que foi a real implementação do Processo de Bolonha em Portugal, um pouco distante daquilo que era a real intenção da Declaração de Bolonha, apenas posso concordar com a mesma.

Falta, certamente, definir como esta equivalência funcionará na prática da estruturação profissional, porque a existir esta equiparação, estamos a assumir (e bem, a meu ver) que as actuais licenciaturas não preparam devidamente os profissionais para a prática profissional das suas actividades.

Tal situação, terá que levar a uma obrigatoriedade dos mestrados para todas as profissões, não podendo ficar o assunto pela mera equiparação entre licenciados pré-Bolonha e mestres pós-Bolonha.

Exige-se assim uma reformulação completa da ordenação das profissões, Serviço Social incluído.

publicado por MAV às 23:30
Terça-feira, 04 DE Novembro DE 2008

posts ideais

5 Dias » A Feira de Carcavelos e a Estratégia Espanhola

 

Mal foi empossado primeiro-ministro, José Sócrates anunciou com o entusiasmo conhecido qual seria a prioridade do Governo português: “Espanha, Espanha, Espanha”. Pragmático, meses depois, Sócrates já começava a rodar a prioridade, apontando a agulha para África, mais precisamente para Angola. O que aliás até lhe causou engulhos internos, dentro da sua família socialista. De mão estendida, lá andam os portugueses a mendigar uns negócios e um dirigente do PS já me confessou que se não fosse Angola, “isto estaria bem pior”.

Mas enquanto o Governo português empurra os empresários portugueses ao negócio tipo “feira de Carcavelos”, seguindo aliás, uma sina lusa que já data do séc XVII, a Espanha, a tal que era prioritária, avança em bicos de pés. Mas pés de ouro, como se pode ler:

O secretário de Estado espanhol para as Relações Exteriores, Ângelo Lossada, disse sexta-feira à macauhub em Maputo que a Espanha aumentou o seu apoio à África ao sul do Sahara de 150 para 1190 milhões de euros de 2004 para 2008. 

Lossada fez estas declarações à macauhub à margem da cerimónia de encerramento do segundo encontro havido em Maputo entre 24 universidades espanholas e 22 universidades africanas.

“África é agora a nossa prioridade depois da América Latina”, disse o secretário de Estado para as Relações Exteriores espanhol.

Dá para perceber a diferença de estratégia. Desde que Lisboa aposta em África, não me lembro de ter havido um encontro de universidades portuguesas e africanas. Mas sei de muitos encontros, reuniões, discussões de como vender produtos, de como transportá-los em contentores, de como enriquecer rápido e em força. Agora, deixar uma marca e apostar no futuro são coisas para quem sabe e para quem quer.

publicado por MAV às 18:14
Quinta-feira, 30 DE Outubro DE 2008

just for fun (ii)

 

publicado por MAV às 22:48
Quinta-feira, 30 DE Outubro DE 2008

just for fun (i)

 

publicado por MAV às 22:47

pesquisar

 

Outubro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

  • A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...
  • É homenagem a Portugal não vã...
  • obrigado pela informação
  • Buy your World Email Databases - Connect the World...
  • boas,caros colegas, acho impressionante o que se p...
  • Antes de mais dou os parabéns pelo bom gosto com q...
  • Parabéns pelo destaque!
  • Infelizmente a Troika não nos "safa" dos espertos....
  • Gostava de o desafiar a visitar o blog "Dez a fio"...
  • Bom dia,O Ideal Social está novamente em destaque ...

arquivos

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

links

DIVERSOS

------------------
------------------

O Ideal Social no seu E-Mail