A Empregabilidade

Uma das temáticas actualmente em debate no seio das profissões às quais estou ligado (serviço social e trabalho social) é a empregabilidade. Quer por motivos pessoais, quer pelo desejo que os meus alunos e futuros colegas rapidamente entrem no mercado de trabalho, existem aspectos que sobre os quais considero que seria importante reflectir.


Uma das notícias que aqui refiro, intitulada "seis mil estágios até 2013" remete-nos para o designado PEPAL (Programa de Estágios Profissionais na Administração Local). Estes, aparecem no seguimento do PEPAP (Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública).


Seria, à partida, uma iniciativa interessante, que promoveria a experiência profissional dos recém-licenciados, abrindo-lhes uma porta para o mercado do trabalho.


Contudo, a realidade é diferente...


Estes programas servem, essencialmente, dois grandes objectivos:




  1. diminuir a taxa de desemprego nos recém-licenciados;

  2. apagar (e salvo raras excepções) a necessidade de empregar profissionais nessas instituições.


Todos os anos, enfrenta-se um rodopio de profissionais que, no momento em que estão a conhecer a realidade da população desses serviços, são novamente substituídos por outros nas mesmas condições.


Pelo menos é isto que me faz pensar a realidade que conheço. Se assim não é, venham os números de estagiários que, no final dos mesmos tenham estabelecido uma relação de trabalho com esses serviços.

publicado por MAV às 22:02